Terça-feira, 18 de Agosto de 2009

Um pouco mais sobre as personagens masculinas (*** SPOILERS ***):

Wrath is the King of the vampires and is the last pureblood vampire in existence. Almost completely blind, he is the leader who was not willing to ascend the throne. He falls in love with Beth, the half-breed daughter of his brother, Darius. His story is told in Dark Lover (Livro Um).

 

Rhage is the strongest and most beautiful of the Brothers. Cursed by The Scribe Virgin, he is possessed with a dark side that is a danger to everyone. His story is told in Lover Eternal He falls in love with a human named Mary and wishes to take her as his Shellan.

 

Zsadist is the scarred, menacing Brother. Taken as an infant from his family, he's forced into blood slavery until his twin, Phury, rescues him. His story with the beautiful aristocratic vampire Bella tells the softening of this tortured warrior's heart in Lover Awakened.

 

Butch/Dhestroyer is the only human to be allowed within the Brotherhood, and Wrath's cousin. This connection to him allows him to be "turned" and he is initiated in the BDB. He lives at the "Pit", a two bedroom gate-house connected to the mansion where the King and other Brothers reside, with Vishous and he is a friend to all the warriors. An ex-homicide detective, he was lovingly given the nickname "Cop" by the vampires. He is the object of an ancient Lesser Prophecy, and has the ability to sense them wherever they are and can absorb them into himself. His story and his love for the vampire Marissa is told in Lover Revealed.

 

Vishous is the most intelligent and the one who is specially gifted. His curse is his ability to prognosticate: he sees the future, though not the 'when' of events so he is tortured by his inability to save those he loves from danger. Tattooed on his face, his genitals, - which are scarred since his father trised to casturate him - and his entire hand, he has the ability of psychometry. All of this was inherited from his mother The Scribe Virgin. He falls in love with a human surgeon, Dr. Jane Whitcomb. His story is told in Lover Unbound.

 

Phury is Zsadist's twin brother and a celibate who cannot truly live because of everything his biological brother has lost. Phury is incredibly loyal to his brother, even shooting off his own leg to save his twin. His noble nature even went so far as to help release Vishous from being "Primale" to the Chosen. He eventually falls in love with the Chosen, Cormia, his first mate. His story is told in Lover Enshrined.

 

Rehvenge is brother-in-law to Zsadist, half symphath, and owner of a local club called ZeroSum. He is also a member of the vampire aristocracy and the "Princeps Leahdyre" of its council. He hides the fact that he is half "symphath" even to his own sister, Bella. His story is told in Lover Avenged.

 

Tohrment took over leadership of the Brotherhood when Wrath became King. He was the steady and calm brother, until a tragedy took the life of his Shellan, Wellsie and his unborn son, where he disappears till Lover Enshrined, returning weak and emaciated.

 

John Matthew/Tehrror is the reincarnation of Darius. Before learning that he was a pre-trans vampire, he lived alone. At one point, he was cornered in the hallway to his apartment and raped by an unknown human. In despair John turned to the suicide prevention network in Caldwell and met Mary Luce. He followed her home so that he could meet her - he is mute. During this meeting, Mary's neighbor, Bella, visited and sensed John was a vampire like her. As the introductions ensue, Bella notices a bracelet John is wearing which carries his name in the Old Language. The name of a brother, Tehrror. Bella contacts the brotherhood and John learns what he is and that he will soon go through his transition to become an adult male vampire. He was also invited to live amongst his kind, at which time he lived with Tohrment and his expectant mate Wellisandra. Now that he has gone through his transition Wrath has made him join the war due to his unexplained proficiency with weapons and knowledge of Lessers.His story is to be told in Lover Mine.

 

Qhuinn is best friends with Blaylock and John Matthew. He is hated by his parents because of his mismatched eyes and color blindness, both seen as defects to the vampire aristocracy. During training he came to the defense of John Matthew, nearly killing his cousin Lash when he pinned John to the wall, bringing back John's memories of being raped. In order to avoid being put to death he was dedicated as John Matthew's ahstrux nohtrum - his protector - and they work incredibly well together as a team. Currently he hives with John and the Brothers after his family disowned him. He is a playboy with commitment issues, preferring a steady stream of anonymous sex. Despite this he has proven himself a fierce warrior in the war against the Lessers.

 

Blaylock First met John Matthew at the training facility and quickly became John's first friend within his class. He is often referred to by his nickname, "Blay" and was the first of the three friends to go through his transition. He s now a soldier in the war against the Omega and the Lessers. It has been revealed that he is gay and is in love with Qhuinn, placing an increased strain on their friendship. Currently he lives with John and the Brothers.



publicado por ladybug às 21:46

Sinope

"Por entre as sombras da noite na cidade de Caldwell, Nova Iorque, decorre uma violenta guerra entre a raça de vampiros e os seus exterminadores. Existe também uma sociedade secreta de irmãos com poderes especiais - seis vampiros guerreiros, protectores da sua raça. Agora, o frio coração de um astuto predador irá ser amolecido contra a sua vontade...
Brilhante e sem misericórdia, Vishious, filho de Bloodletter é portador de uma maldição de destruição e da aterradora capacidade de prever o futuro. Como jovem pretrans no campo de batalha do seu pai, ele foi atormentado e abusado. Como membro da irmandade não tem qualquer interesse no amor ou em emoções, apenas na guerra contra a Lessening Society. Mas quando uma ferida mortal o coloca sobre os cuidados da Drª Jane Whitcomb, cirurgiã, sente-se pela primeira vez na vida compelido a deixar sair a sua dor interior e a sentir o verdadeiro prazer - até que um destino que ele não escolheu o encaminha para um futuro do qual esta mulher não poderá fazer parte..."

 

Da minha opinião:

Este livro encheu-me as medidas. Tirando o baldinho de água fria no fim (ok... não gosto de fantasmas: posso, não posso?!?), este é certamente, até agora, o meu livro favorito da Irmandade.

 

Fiquei fascinada com a história de Vishous e, encantada com a relação dele com Jane. A curiosidade cientifica dela é divertida e a forma paciente como ele a elucida é encantadora.   Por outro lado, a honestidade e franqueza de Vishous é arrebatadora. A relação dele com Butch continua a ser um ponto alto. Ponto alto também, é a amizade de John, Blaylock e Qhuinn, os quais passam pela transição entretanto. Zhadist releva também uma protecção a John, quase paternalista. Este livro em particular está salpicado de observações cheia de humor.

 

Mais não digo :) As relações e as personagens evoluem tão naturalmente, de livro para livro. É absolutamente notável a qualidade do  trabalho de J. R. Ward, numa obra tão extensa e com tantos personagens.


Mais opiniões: aqui e aqui.



publicado por ladybug às 21:22

Sinopse:

Butch O'Neal is a fighter by nature. A hard living, ex-homicide cop, he's the only human ever to be allowed in the inner circle of the Black Dagger Brotherhood. And he wants to go even deeper into the vampire world- to engage in the turf war with the lessers. He's got nothing to lose. His heart belongs to a female vampire, an aristocratic beauty who's way out of his league. If he can't have her, then at least he can fight side by side with the Brothers...

Fate curses him with the very thing he wants. When Butch sacrifices himself to save a civilian vampire from the slayers, he falls prey to the darkest force in the war. Left for dead, found by a miracle, the Brotherhood calls on Marissa to bring him back, though even her love may not be enough to save him...

 

 

 

Da minha opinião:

Butch é um polícia humano que aparece no primeiro livro. Interessado na altura por Beth, seguiu-a até inevitavelmente ir parar à mansão onde vive a Irmandade. A alternativa seria ser morto, não fosse Vishous ter tido uma visão com ele. E uma vez "dentro", o mundo lá fora deixa de existir. Para Bush foi a melhor coisa que lhe aconteceu pois não tinha nada a perder e tudo a ganhar: com 37 anos, sem mulher nem filhos, há anos afastado irremediavelmente dos pais e dos irmãos, restava-lhe uma casa vazia, o sexo cru e a garrafa de whisky. 

 

Marissa, deslumbrante, delicada e elegante é a única fêmea de quem Wrath se alimentou até este conhecer Beth (ver primeiro livro). Tal como Bella (livro três), Marissa é uma vampira da alta aristocracia, de sangue o mais puro possível, irmã do prestigiado médico da civilização. Desde o primeiro livro que a paixão de Butch por Marissa é conhecida e, até este livro, nunca na verdade nos é dado a conhecer porque é que ela, em determinada altura, o rejeitou.

 

Quando Butch é torturado e amaldiçoado por Omega, Vishous faz tudo o que lhe é possível para o salvar. Vencido, reconhece que só a presença de Marissa ajudar a recuperar o amigo. Marissa não pensa duas vezes e, arriscando-se a ficar também contaminada, não larga a cabeceira de Butch. A perspectiva da relação entre Butch e Marissa não é, de todo, aprovada pelo irmão que desta, que a põe fora de casa. Marissa recorre ao primeiro sítio que lhe vem à cabeça: a mansão da Irmandade.

 

Marissa revela-se uma fêmea de coragem e inteligente. Bush acaba por se tornar um asset valioso da Irmandade para combater pela espécie. E a relevar: a relação de Vishous e Bush,  absolutamente adorável. E como não há coincidências, o final precipita-se pouco provável, mas inegavelmente um "had to be"... :)

 

Como sempre, um livro bem escrito, bem conduzido, bem concebido e com uma linguagem, diálogos e termos muito característicos.

 

Nesta altura, acredito que só é possível perceber determinadas relações quem efectivamente leu a saga.

 

Mais opiniões aqui, aqui e aqui.



publicado por ladybug às 00:46
Sexta-feira, 14 de Agosto de 2009

Sinopse

 

In the eternal battle between the vampires and the Lessening Society only a small band of warrior vampires, known as the Black Dagger Brotherhood, stand between the vampires and the total annihilation of their species. The members of the Brotherhood are all terrifying warriors who live a violent existence whilst upholding their vows to protect civilian vampires.

 

Zsadist is the most terrifying of all the Brothers.  Kidnapped and sold into slavery as a child the first hundred years of his life were a nightmare of abuse. Locked and chained in a dungeon as a blood slave to a female member of the vampire aristocracy he was subjected to physical, sexual and mental abuse on a daily basis. 

 

Nearly a hundred years after his dramatic rescue by his twin brother Phury, Zsadist is still a ruined man.  He may have left the dungeon and the torture behind but he has never gotten over the abuse. With a trigger temper, a hatred of all women (and most men too) he is a ticking bomb of violence that can explode with the slightest provocation.

 

When Bella, a beautiful and high ranking aristocratic vampire is kidnapped by the Lessening Society, Zsadist is the only one who doesn’t stop searching for her. In his own way he is obsessed with thoughts of her and finding her is his new mission in life. After her own family have given her up for dead, Bella is finally rescued from the torture chamber where she was being kept captive by a lesser who had developed an unhealthy obsession for her.  As Zsadist pulls Bella’s beaten body out of the hole in the ground where she was being kept prisoner, it is clear that he has a deep attachment to her.  Bella herself has always had a fascination for Zsadist, ever since the first time she saw him before she was kidnapped and throughout her captivity she thought of him and hoped that he would rescue her. Now that she is free, it is down to her to find a way of helping Zsadist leave the prison of his past behind if there is to ever be a hope for him to have a future with her.

  

Na minha opinião:

Considerando que este é o terceiro livro e estou a acabar o quinto, posso afirmar com absoluta certeza que a memória já não está tão fresca quanto gostaria. Por isso mesmo, procurei uma sinopse bastante completa para ajudar.

 

Adorei o livro, sem dúvida. Quando penso: epá, este livro ainda é melhor que o anterior, pego no próximo, e descubro-o ainda mais brilhante, desenvolvido, profundo e completo que os anteriores.

 

Este livro é quase a história da Bela e do Monstro, sendo Zsadist o monstro, claro está. É interessante no entanto, acompanhar a aceitação que faz do seu passado, destituindo-se,  com muito abnegação, da categoria de "mercadoria estragada", após o século de abusos  sexuais a que foi sujeito. 

 

São fascinantes de acompanhar todos os momentos em que, apesar de ambos os gémeos, Zsadist e Phury, amarem a mesma mulher, qualquer um deles se dispôr a abdicar de Bela e da própria vida, pela felicidade do outro irmão. Não há muito a abdicar, no entanto, pois Bela é uma bela e independente mulher (vampira), que sabe o que quer. E, não obstante todas as cicatrizes que Zsadist apresenta, o fascínio de Bela por ele é estanque e obstinado desde o primeiro minuto em que o viu. E, se por um lado temos Zsadist a achar-se insuficiente e impuro para Bela, acreditando que o seu gémeo seria o macho perfeito para ela, Phury reconhece que Bela apenas deseja o sombrio e atormentado irmão, mesmo depois de lhe conhecer até as cicatrizes não visíveis aos olhos, e apenas deseja que o irmão seja, finalmente, feliz...

 

Outras opiniões: aqui, aqui e aqui.

 

Nota: Compreendam a minha dificuldade em arranjar outras opiniões em português mas só o primeiro livro foi editado cá e os restantes têm que ser lidos em inglês, por quem se dispõe a fazê-lo :). Por outro lado, é lamentável haverem tão bons autores e tão bons livros e ainda não descobertos pela nossa língua.



publicado por ladybug às 18:18
Sexta-feira, 07 de Agosto de 2009

Sinopse:

Within the brotherhood, Rhage is the vampire with the strongest appetite. He's the best fighter, the quickest to act on his impulses, and the most voracious lover-for inside him burns a ferocious curse cast by the Scribe Virgin.

Possessed by this dark side, Rhage fears the times when his inner dragon is unleashed, making him a danger to everyone around him. When Mary Luce is unwittingly thrown into the vampire world, she must rely on Rhage's protection. Knowing that Mary feels the same intense animal attraction, Rhage must make her his alone...

 

Na minha opinião:

As capas originais transmitem uma ideia de vulgaridade perfeitamente desnecessária. Os títulos originais também não são particularmente felizes. Tire-se o "Lover" e temos a palavra chave de cada uma das personagens e, por consequência, de cada livro. Isto porque cada livro fala de um irmão em particular, levando-nos a conhecer o passado que os tornou na pessoa/vampiro que são na actualidade, desvendando os pontos fracos de cada um. Naturalmente os outros estão sempre presentes, mas o protagonismo em cada livro cabe apenas um.

 

Neste segundo livro, o protagonismo cabe a Rhage, o irmão desconcertantemente bonito, cuja tatuagem nas costas revela, de algum modo, o "castigo" que a Virgem Escriba lhe reservou por 200 anos. Rhage acaba por se apaixonar por uma humana com uma doença terminal e, acaba a trocar a vida e o amor dela pelo resto da dele com o "castigo" que tanto o atormenta. Só pode ser amor :)

 

Consistente e intenso, a autora consegue mais uma vez agarrar-nos não só com a história de amor entre Rhage e Mary, mas com "pequenos nadas" que acabam por se vir a revelar relevantes, como o aparecimento da vampira da alta aristocracia, Bela, do irmão desta, Rev, e por fim, de John, um rapaz mudo amigo de Mary. E sim: há sexo. Muito. Provalvemente é o livro da Saga que mais sexo tem. Para os puritanos deste mundo, não aconselho.

 

A Saga continua a ser lida com muito entusiasmo :). Estou tão envolvida em cada uma das personagens, que é como se as conhecesse desde sempre. É preciso gostar e entrar na onda do surreal/fantástico e/ou mesmo, do paranormal. E deste último aspecto, ou se gosta ou não se gosta. Confesso que a fantasia me tira um pé do chão e isso agrada-me. Já os livros que retratam os dramas da vida comum estão fora da minha lista de leituras neste momento, já que tenho os meus próprios dramas com que lidar :)

 

Outras opiniões:

Boolist: "Two hundred years: that's how long Rhage must bear the curse born of his reckless inconsideration. Sex and violence are all he once pursued; now they are the only things that keep the beast within at bay. He has little hope for finding peace during this existence, until Mary Luce enters his life. Irresistibly drawn to her light, he's pulled into a struggle with his own demons as well as the real enemies who threaten the vampire world and Mary. Ward wields a commanding voice perfect for the genre, and readers new to the world of the Black Dagger Brotherhood should hold on tight for an intriguing, adrenaline-pumping ride featuring a race of warrior vampires who fill enemies with terror and women with desire. Like any good thrill ride, the pace changes with a tender story of survival and hope and leaves readers begging for more." Nina Davis

 

Ver mais opiniões aqui, aqui, e aqui.



publicado por ladybug às 16:36
Segunda-feira, 03 de Agosto de 2009

Autor: J. R. Ward

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 428
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724619088

 

 

Sinopse:

Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual - seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra.


Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado - deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino - Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos.


Transformada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fonte crescente que ameaça consumir ambos.

 

A minha opinião

Peguei no livro porque sabia tratar de vampiros. Tão somente por isso. Não me ocorreu porém que viciar-me neste submundo seria uma possibilidade.

 

Este livro leva-nos até uma sociedade de vampiros diferente daquelas a que nos habituámos. Aqui, os vampiros são-no à nascença, fazendo a transição por completo por volta dos 24/25 anos. E é uma verdade sociedade, em todo o sentido da expressão: existem regras, convenções, uma hierarquia, um rei, os aristocratas e os "civis", que é como quem diz, o povo.

 

Toda a história roda em torno de seis irmãos guerreiros, protectores da espécie. Numa primeira análise poder-se-ia dizer que entre a roupa de couro, as tatuagens, as cicatrizes e a violência, estamos perante seis irmãos implacáveis e sem coração.

 

Ao mesmo tempo que luta pela segurança dos "civis", Wrath, o rei, acaba por se envolver com a filha meio-humana do irmão Darius, morto pelo exército de morto-vivos que existe com a finalidade absoluta de os destruir. Apesar de tudo o que os rodeia, é nesta história de amor que o livro de centra. E, como em tudo o resto no livro, a relação de Beth e Wrath é bastante gráfica. Não aconselhável, portanto, a qualquer pessoa sensível a leitura sensual/erótica.

 

Foram 400 páginas que devorei em letra miudinha, num universo longe do nosso, consistente e extraordinariamente criativo até nos mais pequenos detalhes. A diferença está, como sempre, nos pequenos detalhes. As convenções do acasalamento, a forma como se precisam de ser alimentar, a construção de uma completa sociedade, desde o rei ao mordomo (perfeitamente lógica se pensarmos numa monarquia)... tudo encaixa.

 

Escusado será dizer que não vou esperar pela publicação em português dos restantes sete livros da Irmandade. Na verdade, no momento em que escrevo este post, vou já no 4ª livro :)

 

Outras opiniões: aqui, aqui, aqui e aqui



publicado por ladybug às 18:31
mais sobre mim
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Whislist

Confissões ao Luar, Alice Hoffman
333, Pedro Sena-Lino

arquivos
2010

2009

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO