Sexta-feira, 07 de Agosto de 2009

Sinopse:

Within the brotherhood, Rhage is the vampire with the strongest appetite. He's the best fighter, the quickest to act on his impulses, and the most voracious lover-for inside him burns a ferocious curse cast by the Scribe Virgin.

Possessed by this dark side, Rhage fears the times when his inner dragon is unleashed, making him a danger to everyone around him. When Mary Luce is unwittingly thrown into the vampire world, she must rely on Rhage's protection. Knowing that Mary feels the same intense animal attraction, Rhage must make her his alone...

 

Na minha opinião:

As capas originais transmitem uma ideia de vulgaridade perfeitamente desnecessária. Os títulos originais também não são particularmente felizes. Tire-se o "Lover" e temos a palavra chave de cada uma das personagens e, por consequência, de cada livro. Isto porque cada livro fala de um irmão em particular, levando-nos a conhecer o passado que os tornou na pessoa/vampiro que são na actualidade, desvendando os pontos fracos de cada um. Naturalmente os outros estão sempre presentes, mas o protagonismo em cada livro cabe apenas um.

 

Neste segundo livro, o protagonismo cabe a Rhage, o irmão desconcertantemente bonito, cuja tatuagem nas costas revela, de algum modo, o "castigo" que a Virgem Escriba lhe reservou por 200 anos. Rhage acaba por se apaixonar por uma humana com uma doença terminal e, acaba a trocar a vida e o amor dela pelo resto da dele com o "castigo" que tanto o atormenta. Só pode ser amor :)

 

Consistente e intenso, a autora consegue mais uma vez agarrar-nos não só com a história de amor entre Rhage e Mary, mas com "pequenos nadas" que acabam por se vir a revelar relevantes, como o aparecimento da vampira da alta aristocracia, Bela, do irmão desta, Rev, e por fim, de John, um rapaz mudo amigo de Mary. E sim: há sexo. Muito. Provalvemente é o livro da Saga que mais sexo tem. Para os puritanos deste mundo, não aconselho.

 

A Saga continua a ser lida com muito entusiasmo :). Estou tão envolvida em cada uma das personagens, que é como se as conhecesse desde sempre. É preciso gostar e entrar na onda do surreal/fantástico e/ou mesmo, do paranormal. E deste último aspecto, ou se gosta ou não se gosta. Confesso que a fantasia me tira um pé do chão e isso agrada-me. Já os livros que retratam os dramas da vida comum estão fora da minha lista de leituras neste momento, já que tenho os meus próprios dramas com que lidar :)

 

Outras opiniões:

Boolist: "Two hundred years: that's how long Rhage must bear the curse born of his reckless inconsideration. Sex and violence are all he once pursued; now they are the only things that keep the beast within at bay. He has little hope for finding peace during this existence, until Mary Luce enters his life. Irresistibly drawn to her light, he's pulled into a struggle with his own demons as well as the real enemies who threaten the vampire world and Mary. Ward wields a commanding voice perfect for the genre, and readers new to the world of the Black Dagger Brotherhood should hold on tight for an intriguing, adrenaline-pumping ride featuring a race of warrior vampires who fill enemies with terror and women with desire. Like any good thrill ride, the pace changes with a tender story of survival and hope and leaves readers begging for more." Nina Davis

 

Ver mais opiniões aqui, aqui, e aqui.



publicado por ladybug às 16:36

"You know you’ve read a good book when you turn the last page and feel as if you’ve lost a friend."

 

(Autor desconhecido)



publicado por ladybug às 16:05

... enquanto a FNAC deixa.

 

 

Já chegaram: 5 livros por 20€. Parece-me um bom investimento!

 



publicado por ladybug às 15:56
mais sobre mim
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

16
17
19
20
21
22

23
25
27
28
29

30
31


Whislist

Confissões ao Luar, Alice Hoffman
333, Pedro Sena-Lino

arquivos
2010

2009

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO